terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Alice: como finalmente me perdi. Parte 2


Tivemos uma longa conversa, caminhamos um pouco, e a levei até sua casa. Ela havia me disse que morava sozinha e que nunca conseguiu ter alguma pessoa que a compreendesse o suficiente para compartilhar uma casa, por isso havia saído da casa dos seus pais com apenas dezessete anos. Era a louca mais linda que eu já tinha visto na minha vida. Sua fala parecia uma canção para meus ouvidos, aquele sorriso parecia faróis para a minha vida. Como apenas uma conversa me deixou assim? Não sei.
E lá estávamos nós frente a frente, na porta de sua casa. Aquele típico momento que todos sabem o que irá acontecer, mas os personagens insistem em duvidar.
- Legal te conhecer - ela disse enquanto ajeitava o cabelo atrás da orelha. - Você é legal...
- Apesar de achar "legal" um pouco chato vou tomar como um elogio - rimos juntos. - Foi ótimo ter te conhecido.
- Você parece mais feliz... - Ela sorriu como se houvesse algo subliminar em sua última frase.
Ela sabia... É claro que ela se tocara de que eu estava completamente louco por ela.
- Você acha? - foi tudo que conseguir dizer ao olha-la nos olhos.
- Na verdade eu acho outra coisa... - Ela disse olhando para seus pés enquanto os cruzava...
- O que acha?
- Acho que você vai demorar para me beijar. Na verdade acho que vai esperar eu fazer isso do mesmo jeito que esperou eu ir falar contigo. - Ela ergueu seu olhar e me encarou de uma forma devastadora, encantadora, e eu não sabia se a beijava naquele momento ou ficava apreciando aquele lindo sorriso. - Por favor, não demore. - ela sorriu esperando por uma ação minha, mas nada pude fazer, estava paralisado. Por quê? Sabe-se lá deus o porquê...
- Acho que você é a moça apressada mais linda que eu já conheci.
- Acho que você é o cara encantador mais lerdo que eu já vi.
E depois dessas palavras tudo que ela fez foi sorrir e se aproximar, seus lábios se encontraram com o meu, e meus braços se encontraram com seu corpo. Mas não foi o beijo que me envolveu naquele momento, e sim o modo como ela parecia se entregar, parecia estar se rendendo em meus braços, parecia ter achado um porto depois de tantos dias em alto mar. E eu realmente espero estar certo disso, mesmo tendo acabado de conhecê-la.

Continue lendo Alice.

Nenhum comentário:

poderá gostar também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...